Quantos estepes o seu caminhão precisa: Confira a legislação!

Quantos estepes o seu caminhão precisa

Muitos não dão o valor ao estepe, pois não entendem a importância dessa peça no caminhão. Contudo, ele é a boia salva vidas em caso de problemas com os pneus, como por exemplo, furos ou danos que impossibilitem o equipamento de rodar. Você sabe quantos estepes o seu caminhão precisa?

Contudo, o assunto é complexo pois a regulamentação existente não é clara, e faz surgir inúmeras dúvidas que trazem questões que ficam pendentes. Mas afinal, quantos estepes são necessários no caminhão?

Para esclarecer de uma vez esse questionamento, trouxemos hoje diversas informações para você entender sobre esse tema. Confira agora mesmo e veja tudo relacionado com este tema.

O estepe

O estepe é um item essencial nos veículos automotores pois ele é a peça reserva em caso de problemas com as que estão rodando. Quebra, esvaziamento ou dano podem tirar um pneu de circulação, tornando o veículo inoperante.

Em caso de acontecer, o estepe estará lá para poder substituir a peça avariada, fazendo com que o veículo volte a rodar. Contudo, é importante que o estepe esteja com a manutenção em dia e calibrado, para poder ter sua plena utilização quando necessário.

A lei estabelece que é obrigatório o uso de estepe, porém, não especifica quantos e nem em quais casos, gerando uma dúvida, muitas vezes prejudiciais, principalmente em relação aos caminhões.

O que diz a lei

O Código de Trânsito Brasileiro é omisso em relação a necessidade e quantidade de estepes para caminhões, ou qualquer outro veículo. A lei apenas cita o CONTRAN como órgão responsável por regulamentar a questão.

E o órgão de trânsito usa de uma resolução antiga, a qual foi editada antes do Código de Trânsito, a de nº 558/80 e, a resolução 14/98. A primeira diz respeito sobre a possibilidade de assimetria entre pneus, no caso do uso de estepe, ou roda reserva, pois é proibido que o veículo rode com rodas assimétricas, de diferentes tamanhos e formatos.

Já, a segunda, informa os equipamentos obrigatórios que os veículos devem ter para rodar em vias públicas, citando apenas no item 24 do inciso I do artigo 1º essa necessidade para veículos automotores e ônibus elétricos, de rodas sobressalentes, sendo interpretado como estepe. Porém, não há especificidade de quantidade.

Porém, para reboques e semirreboques, a norma silencia, não havendo qualquer referência. Portanto, não há um direcionamento legal em relação ao assunto, criando um ambiente confuso e discricionário.

A obrigatoriedade de estepe, conforme a norma, é para o cavalo, não havendo qualquer definição para a carreta. Portanto, só se pode aplicar penalidade para quem não carregar, pelo menos um, estepe para o cavalo mecânico.

O que considerar

Como a lei e os normativos são silentes, cabe uma interpretação mais alargada, que visa diretamente à segurança do veículo. Para tanto, deve-se considerar as situações específicas, para que se possa tomar a melhor decisão.

Primeiro há de se verificar se o cavalo possui pneus de mesma dimensão ou de diferentes tipos. Em caso de serem do mesmo tamanho, considere levar um estepe na viagem, para que se possa ter uma peça de substituição em caso de problemas.

Caso contrário, os pneus serem assimétricos, diferentes, é importante considerar o carregamento de um estepe para cada tipo de roda, novamente para se evitar problemas mais profundos na viagem.

De outro lado, cabe levar em consideração a condição da via que vai se trafegar. Em sendo uma pavimentação precária, que pode gerar muito desgaste dos pneus, ou até a avaria, considere em carregar mais de um estepe para segurança.

Dicas para os pneus do caminhão

É importante sempre verificar as informações do fabricante do item sobre a carga máxima que eles suportam, havendo um limite para o pneu. Respeitando as informações do fabricante, evitam-se problemas.

Evite altas velocidades, para que se evite freadas bruscas, pois o atrito desgasta o pneu, diminuindo sua vida útil. Calibre o pneu e o estepe de forma adequada, conforme as instruções dos fabricantes, pois a calibragem é algo essencial para a durabilidade do pneu.

Mantenha os pneus sempre alinhados e balanceados, pois gera maior uniformidade no movimento e menos degaste. Faça o rodízio dos pneus, distribuindo-os na posição adequada para igualar o desgaste.

Leia também: Calibragem de pneus: entenda a importância

Siga nosso Instagram: @copege.pecas

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima